Jericó - أريحا e o Mar Morto

Após mergulhar no Mar Morto e depois de mais um banho de lama rumamos a Jericó. Jericó rivaliza com Damasco, capital da Síria, na luta pelo título de cidade habitada mais antiga do mundo, apresentando evidências arqueológicas com mais de 9 000 anos. Situada no deserto da Judeia, fica nas margens do rio Jordão e apenas a 8km do Mar Morto. Apesar de ser uma das cidades sagradas para os judeus, Jericó situa-se actualmente na Cisjordânia e é controlada pela Autoridade Palestiniana. Começou por receber cerca de 70 000 refugiados palestinianos durante os conflitos de 1948 e depressa se tornou num importante centro turístico.

Este local biblico, a 258 metros abaixo do nível médio das águas do mar, é um oásis irrigado pelo rio Jordão e pelos inúmeros canais ancestrais existentes. Esta situação geográfica fez deste local um importante pólo atractivo populacional. As evidências mais antigas de povoamento são em Tell es-Sultan, do Neolítico (há quem aponte para 11 000 anos), e da Idade do Bronze (com 9 000).

No entanto, Jericó deve a sua notoriedade às inúmeras referências biblicas e na Tora. "Então, subiu Moisés das campinas de Moabe ao Monte Nebo, ao cimo de Pisga, que está defronte de Jericó; e o Senhor lhe mostrou toda a terra de Gileade até Dã." (Deuteronômio 34:1). Foi aqui, que segundo a biblia, os judeus começaram a conquista da Terra Prometida. No período romano, Jericó foi oferecido de presente a Cleópatra, do Egipto, que a arrendou a Heródes.

Em Tell es-Sultan pouco há para ver já que permanece praticamente tudo por escavar. No entanto, um teleférico liga ao Monte da Tentação, onde hoje existem dois mosteiros ortodoxos no local onde supostamente o diabo apareceu para tentar Jesus Cristo.

O Qsar Hisham (Palácio Hisham), do qual pouco sobra devido a um sismo, situa-se à saída de Jericó e era uma antiga estalagem de caça islâmica.

Terminamos a nossa visita a Jericó com uma paragem na afamada Árvore de Zaqueu.

"Tendo entrado em Jericó, Jesus atravessava a cidade. Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos. Procurava ver Jesus e não podia por causa da multidão, por ser de pequena estatura. Correndo à frente subiu a um sicómoro para o ver, porque ele devia passar por ali. Quando chegou áquele local Jesus levantou os olhos e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, pois hoje tenho que ficar em tua casa. Ele desceu imediatamente e recebeu-O cheio de alegria." (Lucas 19, 1-6)

Etiquetas: ,