Tzfat - צְפַת

Quando visitamos Tzfat, em português Safed, estavamos longe de saber que esta cidade tão tranquila tinha sido atingida por vários mísseis lançados pelo Hezbollah em 2006. Tzfat localiza-se na chamada Alta Galileia e faz juz à sua região já que é a cidade situada a maior altitude no estado de Israel, à cota de 900m.
Tal como Jerusalém, Tiberiades e Hebron, Tzafat engrossa o grupo das quatro maiores cidades sagradas para o Judaismo. No entanto, tornou-se especialmente célebre pela vertente mística desta religião designada por Kabbalah.
As várias sinagogas da cidade exibem estranhas alusões ao Monte do Templo e à Mesquita do Domo da Rocha para lembrar que a construção do Terceiro Templo Judaico em Jerusalém ainda está para vir.
Tzfat foi, um pouco como todas as cidades palestinianas, alvo de grandes massacres no ano de 1929 entre judeus e muçulmanos, mas depois de 1948, os muçulmanos foram obrigados a abandonar a cidade e hoje a totalidade da população é judia. A própria família de Mahmoud Abbas, actual lider da Autoridade Palestiniana, teve que deixar a cidade e refugiar-se na Cisjordânia.
O antigo bairro muçulmano foi transformado num bairro de artistas e acolhe agora galerias de arte. O bairro judeu transformou-se numa espécie de museu ao ar livre (embora nada comparável com Mei Shaerin, em Jerusalém) com a populção local vestida de forma tradicional e envolvida nos seus afazeres diários. Entre os dois bairros, uma rua ainda cercada por arame farpado exibe uma placa que recorda que em 1948 este era um dos locais mais disputados do mundo. O edíficio abaixo também não deixaria esquecer esta realidade já que exibe várias marcas da guerra.
Hoje, a presença militar na área é muito grande. Estamos a cerca de 15km da fronteira com o Líbano e numa das cidades sagradas para os judeus, sendo totalmente ocupada por população judaica. Estes acreditam, inclusive que o messias aparecerá em Jerusalém vindo de Tzfat.
No entanto, os militares parecem bastante descontraídos. Comem e bebem nos bares da cidade, tiram fotos com turistas locais e passam inclusive as armas às crianças para posarem para a fotografia. Desta vez as armas não eram de brincar! Estamos num verdadeiro destino turistico para os israelitas!

Etiquetas: ,